Acesse!


BRPRESS NO TWITTER

FEMINISMO - Tour das poderosas em Londres
Sex, 08 de Março de 2019 18:34

Estátua de Violette Szabo, uma das mulheres que faz parte d...

(Londres, brpress) - Londres é uma cidade cheia de história. São séculos de batalhas, conquistas, descobertas e revoluções. É aí que entram as mulheres notáveis que tanto avançaram em questões fundamentais dos direitos femininos e na igualdade de gêneros. Para honrar e divulgar este legado, a brasileira londrina Helô Righetto, co-fundadora da plataforma Conexão Feminista, criou o Tour das Mulheres, que teve mais uma edição neste Dia Internacional da Mulher. 

Ao todo são 15 pontos visitados a pé, todos retratando a história de grandes mulheres, famosas e anônimas, num passeio guiado em português. Os 6 km perpassam estátuas, monumentos, pinturas em museus, pontes e as blue plaques (as placas azuis que indicam figuras notáveis em Londres). O ingresso custa £16 (cerca de R$ 80). 

Famosas e anônimas

Entre as figuras femininas estão: cientistas, políticas, espiãs, artistas, guerreiras (literalmente), pedreiras, conhecidas, como Emmeline Pankhurst, a líder sufragista, e outras mais anônimas, como Violette Szabo, uma agente secreta. “Faço esse tour desde julho de 2017, ele é o resultado da união de duas coisas importantes na minha vida: falar de Londres – sou autora de dois guias da cidade: Guia de Londres Para Iniciantes e Iniciados e Quase Londoner – e falar de mulheres”. 

Helô é mestre em Estudos de Gênero e chamou Juliana Fleig, historiadora e pesquisadora de gênero, para dar forma ao tour. “Há muito o que aprender passeando pela cidade, descobrindo suas ruas, museus, monumentos e pontos turísticos, inclusive como as mulheres fizeram parte dessa história complexa”, comenta.

Além de revelar as heroínas, contar seus legados e compartilhar o aprendizado, o passeio por Londres enriquece a bagagem das interessadas e interessados na história de mulheres notáveis. Além do conteúdo, tem o visual: o tour passa por um trajeto que proporciona um belo visual da cidade. Só não vale subir no salto.