Acesse!


BRPRESS NO TWITTER

COMPORTAMENTO - Deboche domina comentários sobre roubo de carga de Caetano
Qua, 17 de Janeiro de 2018 13:59

Caetano Veloso teve equipamento roubado na Bahia. Foto: Divu...

(brpress) - A notícia de que um carro com carreta, que transportava equipamentos de show de Caetano Veloso, foi roubado  em Maraú (Bahia), no último domingo (14), já é velha. Mas a repercussão nas redes sociais sobre o incidente não para de ganhar novos contornos. 

Nos posts feitos pela equipe de Caetano em redes como Facebook e Twitter, alguns internautas debocharam da situação devido ao apoio do cantor e compositor a movimentos sociais, mais precisamente ao Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), cujo coordenador, Guilherme Boulos, está cotado como candidato do PSOL à Presidência da República (que teria apoio do PT, no caso da condição de não candidatura de Lula). 

"Roubado não, ressocializado"

Esse foi um dos comentários. ”Liga para o Batman, a Mídia Ninja, o Marcelo Freixo, solta umas pombas" foi outro. Tem mais: ”Avisa a polícia... Esqueci que você quer o fim da Polícia Militar. Vamos chamar os Cavaleiros do Zodíaco”; "Não são ladrões, são vítimas da sociedade do MSM! Movimento dos sem música!”. O tom geral dos comentários foi mesmo de deboche nesta linha: "Não foi roubado. Foi socializado com os menos favorecidos vítimas da sociedade branca burguesa!”. 

Entre os itens levados estavam dois violões de Caetano, além dos instrumentos usados por seus filhos e pelo restante da banda, como um violoncelo, dois teclados, um contrabaixo, entre outros. O cenário, equipamentos de luz e som, também faziam parte da carga subtraída. Nada foi encontrado ainda. 

Fortemente armados

Paula Lavigne, empresária do cantor, explicou em comunicado oficial que o motorista do veículo parou para jantar em um restaurante na estrada e foi assaltado por homens fortemente armados. Na abordagem, os criminosos levaram o carro, o trailer que seguia acoplado com o equipamento e o celular do prestador de serviço, que não foi ferido.

Caetano havia subido ao palco em Salvador, em 13/01, e o equipamento seguia rumo ao Rio de Janeiro.