Acesse!


BRPRESS NO TWITTER

OPINIÃO - Em defesa de Tom Zé
Seg, 06 de Maio de 2013 00:00

(BR Press) - Esse  assunto até já saiu de pauta (felizmente). Mas não me sentiria bem se não desse minha opinião sobre o mesmo. A confusão envolveu o cantor, compositor e músico baiano Tom Zé e o fato de ele ter feito a locução de um dos inúmeros comerciais de uma célebre marca de refrigerantes tendo como foco a Copa do Mundo de Futebol da Fifa de 2014.

    Nele, o eterno tropicalista lê um texto absolutamente normal, no qual são enfocados diversos aspectos do Brasil e de seu povo, no intuito de conseguir superar o desafio de recepcionar um evento tão importante e divulgado nos quatro cantos do mundo como um mundial de futebol, sem dúvidas o esporte mais popular do planeta.

Vendido?

    Algumas pessoas começaram a cornetar Tom Zé, naquele velho esquema de considerá-lo como “vendendo sua credibilidade para uma causa ruim só para encher os bolsos de dinheiro”.

    Para começo de conversa, o fato de a Copa do Mundo da Fifa de 2014 ser realizada no Brasil não é um problema, e sim a forma como os políticos usam desse tipo de evento para encher seus bolsos e beneficiar seus interesses escusos.

    Mas o torneio em si é um dos mais bacanas do meio esportivo. E qual seria o problema de Tom Zé ganhar um dinheiro honesto para ser o locutor de um texto correto e sem nada que o pudesse desabonar? É o tipo de patrulhamento ideológico detestável, exercido por alguns seres metidos a campeões do “politicamente correto” em seus piores aspectos.

Dificuldades

    Quem acompanha a carreira do genial criador baiano sabe as dificuldades que ele já enfrentou em sua longa estrada. Nos anos 80, por exemplo, ele quase largou mão da música para trabalhar em um posto de gasolina na sua cidade natal, Irará, na Bahia, como forma de sobreviver.

    Onde estavam esses “patrulheiros” nessa época? Enchendo o saco de outro infeliz? De quebra, Tom Zé ainda afirmou que usará esse dinheiro honesto e ganho com seu trabalho digno e honrado para gravar seu próximo disco.

    Ele poderia até usá-lo para viajar para Aruba, se preferisse, pois a bolada é dele. Mas dizer que o investirá em um trabalho novo dá boa prova de sua integridade artística e humana. Deixem esse jovem senhor de 76 anos em paz e vão encher as Doutoras Dilmas e os Lulas da vida, please!

(Fabian Chacur/Especial para BR Press)

Assista ao comercial da Coca-Cola narrado por Tom Zé: