Acesse!


BRPRESS NO TWITTER

HISTÓRIA - Hobsbawm: testemunha ocular
Seg, 01 de Outubro de 2012 15:56

Eric Hobsbawm publicou seu último livro em 2011: Como Mudar...

(BR Press) - ''A história está sendo inventada em vastas quantidades… É importante ter historiadores, especialmente os céticos, mais que nunca'', disse Eric Hobsbawm, que faceleu nesta segunda-feira (01/10), aos 95. São declarações concedidas em uma entrevista ao jornal The Observer há 10 anos, mas que permanecem de uma atualidade  estarrecedora.

    São frases que fazem pensar sobre nossos tempos, os que vieram e estão por vir, como quase tudo que escreveu "um dos mais brilhantes historiadores de nossa época e talvez o último da primeira geração de marxistas'', na definição do historiador Elias Thomé Saliba, no texto A Vida e a Obra de Eric J. Hobsbawm, publicado no Estadao.com.

Alemanha

    Entre os mais recentes lançamentos mencionando o genial historiador – cuja obra mais conhecida é A Era dos Extremos: o Breve Século XX: 1914 - 1991, onde ele afirma que o século XX começou em 1914, com a I Guerra Mundial, e terminou em 1991, com o fim da União Soviética – está a coleção Pensamento Alemão no Século XX, ciclo de palestras que está sendo compilado em livros. Como a Alemanha teve um papel fundamental na vida e visão de mundo de Hobsbawm,  a série de livros permite que entendamos melhor o contexto que o historiador diz ter sido "determinante para meu interesse em política e história", revelação feita em sala de aula e reproduzida pelo Guardian.

    De origem judaica, nascido em Alexandria, em 1917, Hobsbawm se refere aos anos de ascenção de Hitler, na Alemanha, onde vivia quando ficou órfão e, aos 14 anos, foi morar com uma tia em Berlim, entrando para o Partido Comunista alemão (KPD) ainda no fim do curso ginasial.

Na década de 80, Hobsbawm comentou sobre sua fuga da Alemanha. "Qualquer um que viu a ascensão de Hitler em primeira mão não poderia ter sido ajudado, mas moldado por isso, politicamente. Esse garoto ainda está aqui dentro em algum lugar - e sempre estará". Após a ascensão de Hitler, mudou-se para Londres, onde continuaria a militar no Partido Comunista, a estudar e viria a se tornar um dos maiores pensadores da história.  

Mundo        
    
    Excessos históricos de consequências globais marcaram a história alemã no século 20. Como assinala Hobsbawm, "a Alemanha esteve no centro dos acontecimentos no século passado. O país passou por duas guerras mundiais, duas ditaduras, ficou na linha de frente na disputa entre o bloco comunista e capitalista durante a Guerra Fria e se reunificou num mundo marcado pela crescente globalização, sendo o ponto de intersecção de grandes processos históricos'.

    Esses conflitos e excessos geraram uma necessidade de observar e refletir. E foram pensadores extraordinários que marcaram esse tumultuado período que a Alemanha viveu nesses cem anos. "A partir desse contexto, nasceram posições, perfis e propostas com uma perspectiva global", disse Wolfgang Bader, diretor do Instituto Goethe de São Paulo e organizador de Pensamento Alemão no Século XX.

Terceiro volume

    O segundo volume de Pensamento Alemão no Século XX foi recentemente lançado pela editora Cosac Naify e traz os ensaios de nove intelectuais brasileiros – entre eles Leopoldo Waizbor, José Arthur Giannotti, Isabel Loureiro e Paulo Albertini – que discutem as ideias de nomes como Wilhelm Reich, Carl Jung, Georg Lukács, Rosa Luxemburgo, Erich Auerbach, Ludwig Wittgenstein, Karl Popper, Werner Heisenberg e Albert Einstein. O terceiro livro está sendo elaborado e deve ser lançado em 2013.

    Hobsbawm ficou especialmente conhecido por sua série A Era das Revoluções, Era do Capital, A Era dos Impérios e Era dos Extremos, traduzida a mais de 40 idiomas. O admirado intelectual, que utilizou os princípios do marxismo para explicar o mundo atual, publicou seu último livro em 2011, intitulado Como Mudar o Mundo.